Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cockpit Automóvel - Conteúdos Auto


Segunda-feira, 07.03.11

ENSAIO: Hyundai ix35 2.0 CRDi/184cv (4x4)

Apesar da tracção integral e de, no caso em apreço, bloqueio do diferencial e ajuda em declive, ao Hyundai ix35 4x4 faltam-lhe distância ao solo e suspensão à altura de transmitir confiança quando o piso se torna demasiado irregular. No primeiro caso, os cerca de 17 centímetros são escassos, no segundo, embora a suspensão tenha ganho firmeza nesta versão, não fica assegurada a integridade geral do conjunto. Não obstante o ix35 ultrapassou com distinção um percurso de terra mais ou menos firme e algumas poças de lama e a falta de tracção, quando se verificou, foi também culpa dos pneus de estrada que o equipam.


Os veículos conhecidos como SUV surgiram como uma alternativa mais “civilizada” aos tradicionais veículos de todo-o-terreno que começaram a popularizar-se na Europa em meados dos anos 80. Mais compactos e mais fáceis de conduzir, conservam algumas características intrínsecas como a tracção integral e, nalguns casos, as ditas “redutoras”, acrescentando conforto e muito mais equipamento do que os ditos “jipes” que, além de espartanos, sofriam ainda geralmente da falta de insonorização.
Não faltam os gadgets mais actuais
como a ficha para o i-pod
A vaga mais recente de modelos deste tipo vai ainda mais longe e fá-los aproximarem-se ainda mais das berlinas ditas familiares. Isto em desfavor das capacidades que poderiam ter para circular com as rodas fora do alcatrão e ultrapassarem obstáculos mais complicados.


Na estrada


Onde o ix35 mostra sem dúvida maior competência é no alcatrão. Aí revela-se bem mais à-vontade, sendo bastante despachado e até mesmo muito mais possante de dirigir do que a versão com apenas duas rodas motrizes. Não porque tenha circulado com tracção total, que é de engrenagem automática, antes porque uma suspensão mais firme inspira maior tranquilidade em velocidades elevadas e na abordagem de curvas. Sendo que isso não implicou qualquer concessão ao conforto. Bem pelo contrário; o conjunto balança menos e os bancos, com excelente apoio, ajudam em muito a amortecer as irregularidades do piso.
Ambiente luminoso. Existe indicador
que aconselha o momento certo
para trocar de mudança 
Deste motor, já conhecido da versão com duas rodas motrizes, pode afirmar-se que não desilude quaisquer expectativas. “Redondo” e com o binário numa faixa relativamente ampla de regime, só não corresponde mais fora do alcatrão e em inclinações significativamente acentuadas, devido às já referidas dificuldades de tracção. De resto, em estrada (ou fora dela desde que o piso seja aceitável), garante um bom desempenho. Em grande parte auxiliado por uma caixa de seis velocidades, precisa e bem escalonada, que faz o que pode para assegurar consumos médios não muito além dos 8 litros.


No interior


Quanto ao habitáculo, tanto a qualidade dos materiais como a funcionalidade denunciam a intenção de satisfazer gostos europeus. A escolha dos padrões e alguns revestimentos suaves no tablier, contrastam com a exiguidade do porta luvas (que beneficia do ar condicionado) e a dispersão de alguns comandos secundários.
Já a habitabilidade, em si boa e bem aproveitada face às dimensões compactas do conjunto (que mede menos de 4,5 metros), contempla uma mala relativamente ampla que alberga pneu e jante suplente igual às restantes e proporciona ainda mais algum espaço onde este se aloja.
Com a decisão de compra a ser em parte por gosto, em parte por capricho, o ix35 4x4 custa mais 8 mil euros do que a versão equivalente de tracção apenas a duas rodas. Embora os mais de 40 mil euros encontrem explicação nalgum acréscimo de equipamento, a fiscalidade portuguesa não perdoa. Ainda que, efectivamente, o ix35 4x4 seja mais pensado para mercados onde é mais assídua a condução sobre neve ou gelo e a tracção das 4 rodas se justifique por razões de segurança.



Ver AQUI mais impressões sobre este modelo, nomeadamente versão sem tracção total


A tracção é engrenada electronicamente. O bloqueio do diferencial e a ajuda do motor em descidas muito acentuadas são comandadas através de botões à esquerda do volante. Meio escondido atrás do volante está o botão que permite alternar entre as várias funções do computador de bordo.



LER AINDA A ESTE PROPÓSITO A SEGUINTE NOTÍCIA:

Alerta de leitor: Via Card classifica e cobra como classe 2, viaturas de Classe 1





Dados mais importantes
Preços desde39500 euros (*)
Motores
1995 cc, 184 cv às 4000 rpm, 383 Nm das 1800 às 3750 rpm. 16 V, common rail, turbo geometria variável, intercooler
Prestações
194 km/h, 10,1 seg. (0/100 km/h)
Consumos (médio/estrada/cidade)
6,1 / 5,4 / 7,2 litros
Emissões Poluentes (CO2)189 g/km
(*) Despesas de preparação, averbamento, transporte, pintura metalizada e SGPU não incluídos


DADOS TT:

Ângulo de entrada: 24,2º
Ângulo de saída: 26,9º
Ângulo ventral: 17º

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 06.12.10

APRESENTAÇÃO: Hyundai ix35 com motor 1.7 CRDi

O mais pequeno e engraçado SUV deste construtor coreano recebeu, finalmente, uma versão dotada com um mais competitivo motor a gasóleo de 1,7 litros e 115 cv de potência. Para além desta proposta, a todos os títulos mais económica do que a de 2,0 l — consumo médio de 5,2 litros e preço abaixo dos 30 mil euros —, a gama Hyundai ix 35 passa igualmente a disponibilizar uma versão a gasolina 1.6 com a mesma potência.

O novo Hyundai ix35 foi desenhado para satisfazer as necessidades e estilos de vida dinâmicos dos condutores europeus e das suas famílias, oferecendo mais estilo, mais espaço,mais equipamento e novidades tecnológicas, além de fortes eco-credenciais agora reforçadas com a introdução do novo motor 1.7 litros turbodiesel da família U2.
A versatilidade conhece novo impulso com a introdução do mais recente bloco 1.6 litros da família GDI a gasolina.

Motor 1.7 litros turbodiesel em estreia

Para aumentar ainda mais a competitividade no mercado nacional, o Hyundai ix35 passa agora a estar equipado com o novo motor U2 1.7 litros turbodiesel CRDi, paralelamente ao fantástico bloco 2.0 litros já em comercialização com dois níveis de potência, 136 e 184 CV.
Desenhado no centro de pesquisa e desenvolvimento localizado na Alemanha e fabricado na unidade de produção localizada na Eslováquia, este motor destaca-se pela utilização da mais recente geração do sistema “common rail” juntamente com um turbo compressor de geometria variável com controlo electrónico, válvula de recirculação de gases de escape com comando electrónico e filtro de partículas, cumprindo a norma Euro5 de emissões poluentes. É um motor limpo, suave, silencioso e económico, mas capaz de assegurar uma boa resposta ao acelerador e um desempenho vivo e dinâmico.
O bloco U2 1.7 foi desenvolvido para oferecer a melhor experiência de condução, proporcionando uma suave mas forte aceleração praticamente desde o arranque. A potência máxima é de 115 CV (85 kW) às 4000 rpm e o binário de 260 Nm encontra-se disponível entre  as 1250 e as 2750 rpm. Em termos de desempenho dinâmico, o novo ix35 1.7 CRDi consegue alcançar os 173 km/h com valores impressionantes de emissões de apenas 135 gr/km deCO2 e um consumo médio de 5,2 litros aos 100 km.

Motor 1.6 a gasolina completa gama

Além da estreia do bloco 1.7 litros turbodiesel, a gama do ix35 estreia ainda no mercado nacional o motor 1.6 litros a gasolina da família Gamma, o GDI, uma unidade motriz moderna e tecnologicamente avançada. Com injecção directa, este motor é a segunda aplicação por parte da Hyundai desta tecnologia, depois do motor 2.4 litros que equipa o Sonata recentemente introduzido em vários mercados fora da Europa.
O bloco 1.6 litros GDI é uma unidade que está no topo em termos de engenharia e gestão conseguindo assim três objectivos que parecem antagónicos: reduzir emissões aumentando a potência e diminuindo o consumo de combustível. Antes da utilização da tecnologia GDI, o ganho em uma delas significava o prejuízo das outras duas.
O sistema GDI injecta combustível directamente na câmara de combustão oferecendo uma precisão inigualável e grande controlo sobre a combustão. Comparado com um motor convencional com a mesma cilindrada, o bloco GDI oferece mais 7 por cento de binário abaixa rotação, 12 por cento mais de binário a elevadas rotações e 10 por cento menos de consumo de combustível.A unidade de 1.6 litros está equipada com uma injecção multi-ponto electrónica e um sistema duplo de variação automática do tempo de abertura das válvulas (CVVT) para aumentar o desempenho, resposta ao acelerador, economia de combustível e reduzir as emissões em baixas e médias rotações.
O motor totalmente em alumínio com quatro válvulas por cilindro debita 135 CV (99 kW) às 6300 rpm e um binário de 164,3 Nm às 4850 rpm. As emissões de CO2 são baixas com um valor de 149 gr/km.ix35 com sistema de tracção dianteira.
No que toca à transmissão, o ix35 com as novas motorizações 1.6 GDI a gasolina e 1.7 litros CRDi, disponibiliza apenas versões de tracção dianteira.A tracção dianteira oferece menor peso do veículo permitido acelerações mais rápidas e maior economia de combustível em estradas com bom pavimento, ajudado pelo controlo de tracção (TCS) oferecido de série e associado ao ABS do veículo.
A tracção é reforçada pela disponibilidade dos sistemas HAC (Hillstart Assist Control/Assistência ao arranque em plano inclinado) que evita que o carro descaia no arranque e DBC(Downhill Brake Control /Controlo de descida em declive) que limita a velocidade do veículo em descidas íngremes.
As novas motorizações agora disponíveis equipam, duas versões com níveis de equipamento distintos, Classic e Comfort na variante gasolina 1.6 GDI e 3 versões, Classic, Comfort e Stylena variante 1.7 CRDi Diesel. Ambas as gamas, gasolina e diesel disponibilizam caixa de 6velocidades manual e serão comercializadas ao abrigo do inovador eco-programa da Hyundai, Blue Drive™ e incluem o sistema Stop/Start (ISG), um sistema de gestão do alternador para poupar energia, um indicador da altura ideal de passagem de caixa para encorajar uma condução mais económica e o uso de pneus de baixo atrito.
Além de todas estas vantagens, o Hyundai ix35 beneficia da garantia Tripla Confiança que oferece cinco anos de garantia ilimitada, cinco anos de assistência em viagem gratuita verificações anuais gratuitas durante cinco anos. Esta garantia oferece ao utilizador uma sensação de tranquilidade e conforto inigualável.


(excerto do texto distribuído pelo Departamento de Comunicação do Entreposto, representantes em Portugal dos automóveis Hyundai. Em breve complementaremos com um ensaio a esta versão. Estão disponíveis trabalhos referentes ao motor 2.0 CRDi e à versão com tracção integral)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 15.11.10

Caça ao Hyundai


Consciente da importância das redes sociais na divulgação de uma marca ou de um produto, a Hyundai desenvolveu uma verdadeira "caça ao tesouro" que se desenrola através da sua página no "Facebook". Tudo o que os fãs dos automóveis coreanos têm que fazer é acompanhar as "pistas" que vão sendo fornecidas com o local mistério em que se encontra estacionado um Hyundai i20 e os três primeiros jogadores que se fizerem fotografar junto a ele recebem um "voucher" com uma experiência ao volante deste modelo. O passatempo está disponível até 12 de Dezembro em Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Braga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 02.07.10

ENSAIO: Hyundai i20 1.6 CRDi iS

Primeiro factor a destacar: o preço. Vinte mil euros para um carro com motor 1.6 e 128 cv de potência não é fácil encontrar... novo! Mas há mais... Tem a aparência fresca e jovial de um pequeno desportivo de três portas: subtis apêndices dinâmicos na carroçaria, jantes em liga de 16 polegadas e uma ou duas saídas do escape em tom prateado. Interiormente segue linha idêntica: pedais desportivos e estofos com (diria algo exagerada) predominância da cor vermelha. Tudo uma questão de gosto.

Realmente boa é a dotação de equipamento de série face ao preço. Tal como os mais bem equipados da restante gama i20, este “iS” recebe os airbags frontais possíveis, ABS e controlo de estabilidade, ar condicionado, um fantástico sistema de som com entradas auxiliares USB e iPod e comandos no volante, as tais jantes em liga e as aplicações desportivas, os vidros eléctricos e ainda fecho centralizado de portas com comando, entre outros itens.

Motor contido

O motor mais potente que motivou esta versão especial destaca-se principalmente pelos consumos. Mas a média anunciada de 4,4 litros só em parte é conseguida devido ao escalonamento demasiado longo da caixa de velocidades. E isso acaba por se reflectir sobre as prestações.
O Hyundai i20 IS tem, por causa disso mas também em grande medida por culpa de uns pneus pouco desportivos, um comportamento dinâmico algo aquém do que a imagem exterior sugere. Gostei particularmente da precisão da caixa de velocidades, aparte a questão das relações, e apreciei também a posição de condução, confortável, ergonómica e com boa visibilidade.

Garantia de qualidade

É reconfortante saber que a gama i20 já deu provas de robustez e fiabilidade. Quanto ao interior, com uma qualidade que não destoa do segmento, revela-se suficientemente prático. Vários pequenos espaços ao dispor dos ocupantes compensam uma bagageira cuja capacidade fica aquém dos 300 litros.
Com 3 portas e uma habitabilidade traseira mais indicada para dois adultos, esta versão em particular surge mais apropriada para quem procura uma solução simultaneamente expedita e económica. A vários níveis: no preço, nos consumos, pela manutenção a cada 30 mil quilómetros e, “last but not least” pela qualidade do produto, garantido pelo fabricante durante 5 anos sem limite de quilómetros.
Análise mais completas ao modelo nas versões 1.2 a gasolina e 1.4 a gasóleo podem ser encontradas neste site, utilizando os instrumentos de pesquisa que se encontram em cima e à direita da página

PREÇO, desde 20000 euros MOTOR, 1582 cc, 128 cv às 4000 rpm, 16 V., 280 Nm entre as 1900 e as 2750 rpm, common rail com turbo de geometria variável (VGT) CONSUMOS, 5,5/3,8/4,4 l (cidade/estrada/misto) EMISSÕES CO2, 117 g/km

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.05.10

ENSAIO: Hyundai ix 35 2.0 CRDi/184 cv



É a novidade mais recente da marca coreana. Pelas características não é de admirar que tenha pretensões de ser o maior concorrente desse grande sucesso de vendas que é o Nissan Qashqai. Lá presença e atitude ele tem. Muito marcante por sinal...

Para alcançar esse desígnio e cobiçar vendas mais significativas há, contudo, que esperar até ao final do ano, altura em chega uma versão bastante mais competitiva equipada com um novo bloco diesel 1.7 CRDi com 115cv, cujo preço deverá estar próximo dos €25000. Por enquanto, as vendas vão concentrar-se em duas versões do motor 2.0 CRDi, com 136 ou 184 cv. Preços a partir dos €30000 para a variante de entrada na gama.

À nova designação dos veículos do construtor (começados por “i”), o Hyundai ix 35 acrescenta a si próprio a letra que lhe marca o carácter especial. E de tão particular tem a silhueta, mais simpática mas também dominada por um carácter bastante mais vincado do que o do modelo que vem substituir, o Tucson.
O comportamento dinâmico parece capaz de agradar rapidamente aos entusiastas deste género de veículos, embora a suspensão macia, claramente orientada para o conforto, provoque um excessivo balancear do conjunto.



Várias propostas
À escolha existem 3 níveis de equipamento – Classic, Comfort e Style –, tracção dianteira ou às quatro rodas e caixa de velocidades automática, também com seis relações. Estas duas últimas especificações, caixa e tracção integral, é exclusivo de uma variante com 184 cv do motor 2.0 CRDi. Naturalmente mais caras (a partir de €36500 em 4x4, €45000 com C.A.), estas versões passam a contar com sistema de auxílio em descidas pronunciadas e controlo de arranque em subida.

Interior e equipamento

Do interior pode dizer-se que parece bem construído, funcional e com recurso a materiais de qualidade. É, além de mais, jovem, bonito e dinâmico. Oferece espaço suficiente em viagem, com destaque para a mala com praticamente 600 l de capacidade.
O equipamento pode incluir todos os extras mais actuais, como câmara de estacionamento traseira ou tecto de abrir panorâmico. De série tem entradas auxiliares de som, assim como uma nova garantia integral de 5 anos que inclui assistência em viagem e “check-up” anual gratuitos durante o mesmo período de tempo.

PREÇO, desde 32000 euros (4x2 comfort) MOTOR, 1995 cc, 16 V, 184 cv às 4000 rpm, 383 Nm das 1800 às 2500 rpm, common -rail, turbo de geometria variável de comando electrónico (E-VGT) e intercooler CONSUMOS, 7,2/5,4/6,1 l (cidade/estrada/misto) EMISSÕES CO2, 159 g/km

Mais ensaio ao Hyundai ix35:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 27.07.09

Hyundai i20 1.4 CRDi Comfort/90cv

Aprovado!

.

Muitos devem ter sido já os que se cruzaram com a publicidade a este carro: "20 valores a…". Por ser bastante exigente não lhe atribuo a nota máxima, o que não impede que o "passe" com distinção!

.

“Passar”, neste caso, assume um duplo significado. O i20 não apenas reúne um conjunto certo de predicados capazes de cativarem quem procura um carro do segmento dos utilitários como, pelo espaço proporcionado e pelas características que apresenta, satisfazer num uso mais intenso e familiar.
O substituto do bem sucedido Hyundai Getz, produzido a pensar no mercado europeu, cresceu face ao seu antecessor. Em comprimento e em largura e isso nota-se, conseguindo ainda ter um habitáculo mais adulto, com linhas mais pronunciadas e de aspecto robusto.
O espaço traseiro é dos melhores do segmento, graças ao aumento em quase 10 cm da distância entre os eixos, e até mesmo a capacidade da mala, com quase 300 litros, não desilude. A qualidade interior, apesar de predominantemente dominada por plásticos mais rígidos, não esconde acabamentos cuidados e muita preocupação com a insonorização face ao ruído desta unidade diesel.
O habitáculo é ainda extraordinariamente funcional, agradando pelo desenho moderno, agradável e prático, disponibilizando pequenos espaços em número suficiente e ligações para fontes de som externas

.

Novo motor

.

Nestes aspectos, praticamente nada difere face à versão 1.2 a gasolina, referenciada neste espaço há algumas semanas. Mesmo uma suspensão que parece mais firme — ou isso deve-se a pneus maiores e com perfil mais baixo — não alteram substancialmente o conforto, que beneficia, em muito, de bancos dianteiros bastante ergonómicos.

É pois o novo motor a gasóleo que o i20 teve "a honra" de ser o primeiro a receber, que justifica a análise desta semana. Precisamente na sua variante mais potente, já que existe uma outra de 75 cv. Uma diferença de preço de apenas 1000 euros, faz com que me atreva a afirmar que será esta quem deverá despertar maior interesse.

Mais interesse deverá despertar ainda, quando ficar disponível uma versão "ecológica" denominada "i-blue" (ver mais abaixo)

.

.

Fácil de levar

.

Mesmo assim, a verdade é que este Hyundai i20 com 90 cv se evidencia bastante económico. A sua caixa de cinco velocidades permite-lhe explorar bem a oferta de binário, melhorando também bastante o comportamento em face da versão mais modesta a gasolina.
Um desempenho mais exigente e obviamente um preço superior, fazem com que venha equipado com um conjunto pneumático mais condizente e isso faz toda a diferença.
Embora mantenha a opinião de que se trata de um carro pouco dado a gerar grandes emoções durante a sua condução, a sua posição de condução é facilmente capaz de criar empatia com quem a ocupa. Isto porque tanto em termos de visibilidade como atrás referi, em termos de funcionalidade, o Hyundai i20 foi concebido para ser um “carro fácil”. Fácil de deixar-se levar, fácil de conduzir e principalmente fácil de manobrar, capaz de agradar a um público muito vasto que o procure com os mais diversos objectivos.

PREÇO, desde 18 450 euros

MOTOR, 1396 cc, 90 cv às 4000 rpm, 220 Nm das 1750 às 2750 rpm

CONSUMOS, 5,5/3,8/4,4 l (cidade/estrada/misto)

EMISSÕES CO2, 116 g/km (combinado)

Este símbolo representa na Hyundai modelos concebidos a pensar na poupança: do ambiente, com emissões poluentes mais baixas, e da carteira dos seus proprietários, por beneficiarem os consumos. As duas coisas directamente relacionadas, claro.
No caso deste “i20”, a versão “i-blue”, que apenas deverá surgir em 2010, será equipada com este mesmo motor, uma caixa de seis velocidades, sistema “stop & go” da Bosch, alterações na altura e na carroçaria de modo a proporcionar um maior fluxo aerodinâmico e pneus de baixo atrito. Reivindica emissões combinadas de apenas 99 g de CO2 por km e um gasto médio abaixo dos 4 litros.
No fundo, as mesmas alterações já introduzidas no Hyundai i30, carro e carrinha, entretanto disponível na versão a gasolina 1.4 e futuramente no motor diesel 1.6 CRDi. Graças a esta tecnologia e aos melhoramentos também efectuados na gestão do motor, atenuando igualmente os atritos mecânicos, é conseguida uma redução percentual nos valores de consumo e de emissões próximo dos 10 por cento.
Contudo, apesar de toda a importância que a componente ambiental nos obriga a ter cada vez mais em conta, para bem do futuro da Terra, a verdade é estas medidas de contenção ocorrem porque na maioria dos países ocidentais vigora um sistema de incentivos para a compra de viaturas menos poluentes, quer através da redução de impostos na aquisição, como, posteriormente, nos impostos anuais de circulação.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar notícias ou ensaios anteriores

Pesquisar no Blog  

Quem somos...

"COCKPIT automóvel" é um meio de comunicação dirigido ao grande público, que tem como actividade principal a realização de ensaios a veículos de diferentes marcas e a divulgação de notícias sobre novos modelos ou versões. Continuamente actualizado e sem rigidez periódica, aborda temática relacionada com o automóvel ou com as novas tecnologias, numa linguagem simples, informativa e incutida de espírito de rigor e isenção.
"COCKPIT automóvel" é fonte noticiosa para variadas publicações em papel ou em formato digital. Contudo, a utilização, total ou parcial, dos textos e das imagens que aqui se encontram está condicionada a autorização escrita e todos os direitos do seu uso estão reservados ao editor de "Cockpit Automóvel, conteúdos automóveis". A formalização do pedido de cedência de conteúdo deve ser efectuado através do email cockpit@cockpitautomovel.com ou através do formulário existente na página de contactos. Salvo casos devidamente autorizados, é sempre obrigatória a indicação da autoria e fonte das notícias com a assinatura "Rogério Lopes/cockpitautomovel.com". (VER +)